O Ciclo da Indecisão - Pormenores

Era terça-feira, um dia de treino ao final da tarde. Era daqueles dias que não me apetecia treinar. Estava frio, a chover e só me lembrava que queria chegar a casa e descansar. Era nesta imagem que me foquei durante todo o dia.

Comecei a correr mentalmente o “filme” que estava a levar à minha indecisão, se deveria ir ou não treinar.
A quantidade de coisas que tinha de fazer para ir treinar, começaram a desmotivar-me. Estava a focar-me em todos os pormenores para justificar perante mim mesmo que não devia ir.
Ter de vestir a roupa de treino, arrumar a roupa dentro da mochila, colocar os sapatos molhados dentro de um saco para arrumar na mochila, dobrar a camisola que trazia vestida e que se ia amarrotar porque a mochila não era suficientemente grande, sair do treino já depois das 20:00, tomar banho, jantar depois das 21:00 e acordar no dia seguinte a sentir músculos que nem sequer sabia que tinha. Será que estas tarefas eram assim tão problemáticas que me obrigassem a ocupar a minha cabeça com elas?

Não, sem dúvida que não.


É isto que acontece quando estamos indecisos. Direcionamos a nossa atenção para aqueles pormenores mais aborrecidos com os quais não queremos lidar, os pormenores que nos ajudem a convencer que agir neste momento é mais doloroso do que não agir.
Em áreas onde nos sentimos inseguros para avançar – mudança de emprego, assumir uma posição diferente daquela que a maioria das pessoas tem, novos relacionamentos – necessitamos de prever para nos sentirmos seguros, e fazemos isso através do foco nos pormenores.

Hoje consigo perceber que quando isso acontece me estou a sabotar. Para evitar este processo de autossabotagem, adoto uma postura mais objetiva. Essa objetividade é impulsionada pela clareza que tem por como principal objetivo a intenção.

Vê o vídeo que fiz sobre este tópico da clareza e como podes obter mais objetividade.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *