Os teus comportamentos são influenciados pela forma como filtras a realidade, o que vês, o significado que lhe dás e consequentemente, a resposta mais adequada surge através do teu comportamento.

 

 

No entanto, entre o que vês e o que fazes, há um código de conduta interno que valida o teu comportamento, os teus valores. Os valores guiam todas as decisões que tomas e, assim, o teu destino. As pessoas que conhecem os seus valores e vivem de acordo com eles, tornam-se os lideres das suas vidas.

 

 

A identificação, presença e consciência dos valores traz objetividade ao nosso quotidiano. Se não formos objetivos quanto aquilo que é mais importante para nós, o que realmente defendemos, como podes definir os pilares da tua auto-estima, da tomada de decisões eficazes?

 

 

Como já tens vindo a seguir o meu trabalho, sabes que a determinada altura da minha vida, deixei tudo para trás e decidi começar do zero.

 

 

No inicio deste ano de 2018, fizeram-me uma proposta verdadeiramente tentadora, não só a nível salarial, mas também porque poderia vir a integrar uma empresa onde sempre quis deixar a minha marca.

 

 

Quando estava reunido com os responsáveis dessa cadeia hoteleira, começou a gerar-se em mim um sufoco estranho, uma vontade enorme de sair daquele sitio.

 

 

Estava sentado e imediatamente fiquei agitado, senti o meu estômago a encolher. Daí até ao final da reunião, não retive mais informação nenhuma, foi uma “branca” completa.

 

 

Levantei-me, agradeci e disse que daí a três dias, no máximo, lhes dava uma resposta. Ao chegar cá fora, comecei a questionar-me o que me teria deixado naquele estado, fazendo perguntas “sem escapatória”, que quem trabalha comigo bem conhece.

 

 

Não me tinham dito nada que me levasse a ficar naquele estado, bem antes pelo contrário, teria, noutras alturas muitos motivos para sorrir.

 

 

Até que me surgiram duas perguntas:

 

  1. O que é que é verdadeiramente importante para mim e que não estava validado nesta situação?
  2. O que é que estou disposto a fazer para que fique como eu quero que fique?

 

 

Foi aí que o jogo mudou e percebi finalmente o que tanto me incomodava.

 

 

Se aceitasse aquele cargo, perdia o que tenho conquistado ao longo destes últimos tempos, liberdade para tomar as minhas decisões e ser eu a ditar o rumo da minha vida.

 

 

Os valores conscientes que determinaram aquela situação foram:

 

  • Liberdade;
  • Crescimento Pessoal;
  • Aventura.

 

 

Se já te deparaste com uma determinada situação em que tiveste dificuldade de tomar uma decisão sobre o que quer que seja, isso deveu-se ao facto de não teres sido objetiva quanto ao que mais prezas nessa situação.

 

 

Toda a tomada de decisão se resume a uma definição de valores. Quando sabes o que é mais importante para ti, a decisão é tão simples quanto a leitura desta frase.

 

 

A grande questão é que com tanta informação, com a padronização de ideias, comportamentos, maneiras de estar com que a sociedade nos molda, perdemos a noção do que é realmente importante nas nossas vidas.

 

 

Afinal, o que são valores?

 

  • São uma base fundamental da nossa existência.
  • Incorporam o que é importante para nós.
  • Definem o que para nós é absolutamente verdadeiro.
  • Determinam a importância de uma situação.
  • Formam a base das nossas decisões.
  • São sustentados pelas nossas crenças, sendo as crenças uma expressão dos nossos valores.
  • Fazem parte da nossa identidade (quem somos).
  • Dirigem o nosso comportamento.
  • São a causa do que me aproximo e do que me afasto.
  • São as pedras básicas de avaliação ou julgamento.
  • São responsáveis pelos nossos estados emocionais.
  • São uma fonte básica de motivação.

 

 

Os nossos valores derivam de uma mistura de experiências, condicionamento, ao longo da nossa vida, por meio da recompensa ou do castigo.

 

 

Assim, os nossos valores, ou a hierarquização dos nossos valores, vão-se alterando ao longo da vida, fruto do significado que damos a certos acontecimentos, a que chamamos, experiência.

 

 

Entende os valores como uma bússola pessoal para te guiar através de uma situação em que não sabes bem que trajetória seguir. A única forma de termos felicidade a longo prazo é viver segundo os nossos ideais superiores, valores. Se não souberes quais são esses valores, prepara-te para a dor.

 

 

Esta dor continuada torna-se evidente porque muitas pessoas sabem o que querem ter, mas não têm ideia do que realmente querem ser.

 

 

Por isso, conseguir “coisas” não lhes trará satisfação, isto porque muitas vezes para ter não estamos a fazer a coisa certa e, muitas vezes vem a frase, “afinal, é só isto?”. É essa coisa certa que te trará a força interior, que distingue a busca de valores relacionados com o meio ou com o fim.

 

 

Uma das dores muito comuns que tenho observado com as pessoas com as quais tenho tido o privilégio de trabalhar, é a da auto-sabotagem.

 

 

A auto-sabotagem vai-nos desgastando por dentro, vais-nos tirando a determinação, a força interior, a auto-estima. Vai “cavando” um fosse entre aquilo que queremos e o que fazemos para o alcançar. Quando é continuada, deixa marcas profundas na autoconfiança.

 

 

A auto-sabotagem, não é mais do que um conflito de valores.

 

 

É importante perceber que a grande maioria das pessoas fazem mais para evitar a dor que para alcançar o prazer. No entanto, posso garantir que uma pessoa que deseje o sucesso pessoal ou profissional não o faz sem experimentar uma ou várias dores, como por exemplo, a rejeição. Se estiver sempre a evitar nunca terá êxito a longo prazo.

 

 

A rejeição é por exemplo, um dos patamares mais elevados de dor emocional e esse medo de rejeição leva, em muitos casos, a tomar a decisão de que o prazer do sucesso não vale o preço de passar por uma possível rejeição, a assim, sabota o nosso comportamento, antes mesmo de avançar. Aqui, há claramente um conflito de valores, entre sucesso e rejeição.

 

 

Uma parte do cérebro diz “Recua”, enquanto que outra diz “se recuares vais sentir dor”.

 

 

Com exercícios de apuramento e validação de valores, as pessoas passam assim a tomar decisões conscientes sobre que valores desejam viver, moldando a qualidade da sua vida, compreendendo a força que estão a criar no seu presente e futuro.

 

 

 

Fábio Alexandre Costa

 

 

Programa SER - Fullmind Coaching

4 respostas

  1. Cláudia Silva diz:

    Que clareza! Absorvi cada palavra…e durante a leitura percebi a minha auto sabotagem e no que a isso me conduziu…Obrigada, grata de coração!

    1. Olá Cláudia. Sem dúvida que é tudo uma questão de valores, regras e da validação das necessidades humanas.

  2. Manuela Vieira diz:

    Bom Dia Fábio ☀ Grata pelo mail, começou o meu dia a saber um pouco (que é muito) sobre mim, sobre o que sinto e sobre o porque de a minha vida ser como é hoje…
    Fez-se luz? esta texto não chegou a mim por acaso, Nada acontece por acaso? Grata por ter cruzado o meu caminho..
    Um dia feliz ☀

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *