As Barreiras

Uma grande maioria das pessoas luta para ter. Ter sucesso, ter reconhecimento, ter tudo como
reconhecimento do nosso esforço.

Começamos a epopeia da vida sem nada, apenas com a nossa felicidade e amor. É assim que
vimos ao mundo, vivendo estados plenos, aqueles estados que não têm oposto.
Rapidamente, aprendemos a ser competitivos, a ser máquinas de agir, a compararmo-nos a
tudo e a todos, mesmo que inconscientemente.
Somos preparados para um mundo de guerrilha, onde o que somos perante os outros tem mais valor relativamente ao que somos perante nós.

Chamo-lhe o mundo do umbigo, aquilo que um dia nos serviu para dar vida, hoje, retira-nos a verdadeira alegria de viver. Preocupamo-nos com o nosso ser e esquecemo-nos do principal, o nosso Eu.
Inconscientemente trocamos a felicidade pela alegria, o amor pelo sentimento, a introspecção pela superficialidade. Superficialidade do momento, do ter para ser, do dar para receber, do tudo pelo muito, do para ti, por mim.
Trabalhamos horas a fio para um futuro melhor, para olharem para nós com orgulho e darem-nos o devido mérito, sermos reconhecidos onde vamos, como uma referência, como alguém que estará acima dos outros.
É aqui que nos esquecemos de nós.
O eu em função de nós próprios raramente está presente, mas sim, o Eu em função dos outros.

Gratidão

Há aquela altura do encontro connosco e, esse encontro, é muitas vezes doloroso, é bater no fundo, é não encontrar sentido para todas as verdades da nossa vida, que, até aí, eram verdades absolutas, inquestionáveis, porque assim nos disseram e assim fomos formatados agir e raramente pensar.
Esse encontro é muitas vezes o primeiro que temos com o nosso interior, mas, infelizmente nem todas as pessoas conseguem encarar isso como a grande oportunidade de vida.
Oportunidade para serem melhores, para abandonarem as velhas crenças, para olhar para o mundo de uma forma diferente, para, acima de tudo, olhar para um todo com gratidão.

A gratidão faz-nos agir com amor e quando agimos com amor, atingimos aquilo que chamamos de um estado. Um estado inabalável, inquestionável, um estado permanente.

Nem sempre o que vimos no espelho corresponde à realidade, quer para o lado positivo, quer para o lado negativo.
Aprende a ouvir o que teu interior te diz e não o que vês no espelho.
A vida muitas vezes diz-nos: Ou aprendes, ou aprendes!

Esta lição é para aprender, tal como eu aprendi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *