O Ciclo da Indecisão – Inflexibilidade

 

Nem sempre aquilo que parece mais robusto é o mais resistente. Esta frase tem-me acompanhado ao longo destes últimos anos.

 

A primeira imagem que me vem à mente é a de um pinheiro e de um bambu.

 

Na adversidade qual deles sobrevive melhor? O que parece menos robusto, aquele que é mais flexível.

A flexibilidade permite-nos tomar melhores decisões, uma melhor adaptação á realidade, não adotando uma mentalidade fixa, quando na vida, tudo é relativo e subjectivo.

 

Então, porque é que adotamos uma postura inflexível quando tudo à nossa volta nos diz para mudarmos?

 

Há experiências no decorrer da nossa vida que nos mudam, em que não temos outra maneira de reagir, para além daquela de fazer diferente.

 

O que é que nos leva, nessas alturas, a decidir num ápice e a mudarmos? Aconteceu comigo. Deixei de lado a intransigência e permiti-me ser flexível e ver as coisas de uma forma diferente.

 

Não me agarrar a uma única maneira de ver as coisas, de alargar os meus horizontes e enfrentar o desconforto inicial de reconhecer que havia outras formas de abordagem.

 

Isto parte de uma decisão consciente.

 

A inflexibilidade está ligada á insegurança e à consequente necessidade de previsibilidade.

 

Há algum tempo atrás, recebi uma pessoa para fazer um processo de desenvolvimento pessoal que tinha uma extrema necessidade de controlo das situações que decorriam à sua volta. Fosse na empresa, com amigos, com a família, a sua postura era inflexível. Com isso criava um ambiente de constante tensão, com ela e com os outros.

 

Uma das perguntas que lhe fiz foi:

“Qual era a verdadeira intenção de ter a necessidade de controlar tudo na vida?”

“A vida assim me obrigou. No passado, vi-me obrigada a ser forte para superar momentos conturbados. Para isso, necessito de controlar o que me rodeia. Só assim tenho a sensação de que nada me escapa”.

 

Para ela, se mantivesse a sua opinião, a sua vontade sentia-se no controlo, que por sua vez se traduzia numa falsa sensação de força.

 

Depois de algumas sessões, finalmente percebeu que eram apenas regras extremamente inflexíveis que lhe traziam uma falsa sensação de controlo e força. Viu o que estava a perder por se tornar tão inflexível e com isso permitiu-se relaxar, tomar decisões com mais facilidade e ter consciência que estava a tentar controlar coisas que não dependiam dela.

 

A inflexibilidade está muitas vezes ligada a uma necessidade que temos, a necessidade de ser coerentes. A coerência está ligada à nossa identidade, aquilo que nos torna únicos e que nos diferencia dos outros.

 

Vê este pequeno vídeo onde explico como a identidade e a coerência influenciam o nosso processo de tomada de decisão.

 

 

 

No Comments

Post A Comment